Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Horas contadas
Ele contava as horas e pensava:
_ Porra que diferença as horas tem?
_ Elas já não valem nada, já valem nada.
Ao seu lado um corpo de um guarda coberto de sangue esvaindo em sangue,
caído sem vida e ele pensava :
_ Tão caído quanto minha vida, sangrando tanto quanto o meu coração
esmagado nas mãos de Deus.
Mais uma vez ele pensava nas horas( porra de horas) que não valiam nada.
acendia um cigarro para que a fumaça circulasse e nelas vagassem seus pensamentos.
Afinal nada dera certo; sua vinda do nordeste .Perdas incontáveis. Sua humilde
casa, seus pais consumidos pela fome e a doença , seus valores ,seus pudores e o
que mais?
ah! o assalto, o assalto que também não deu certo. o cigarro chegava ao fim
e ele pensava ( comparava ) sua vida ao seu cigarro tão finda quanto o cigarro,
tão finda quanto o corpo caído ao seu lado sangrando,sangrando como o seu
coração pelo destino e seu corpo por uma bala só lhe restando o mesquinho
capricho de contar as horas ( porra de horas) o revolver na mão, o olho
no revolver,sua grande chance.Bang !
Sua cabeça sangrando e seu ultimo pensamento. o pensamento que sua vida agora
tinha apenas, horas contadas.
Rogério Vícios f... todos escritos registrados na biblioteca nacional
Revisão Thor o Deus do trovão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário